Sentidos e discursos do (ciber)jornalismo na rede social Instagram: uma análise de dois casos
PDF (Português (Portugal))
HTML (Português (Portugal))
EPUB (Português (Portugal))

Cómo citar

Ribeiro, P. E. (2022). Sentidos e discursos do (ciber)jornalismo na rede social Instagram: uma análise de dois casos. Textual & Visual Media, 1(16), 44-64. https://doi.org/10.56418/txt.16.2022.003

Resumen

O (ciber)jornalismo começou, nos últimos anos, a apostar no Instagram para divulgar os seus conteúdos (e. g., Al-Rawi et al., 2021; Alberto, 2022; Sharma & Naresh, 2022; Vázquez-Herrero et al., 2019). Focando no panorama português, numa altura em que aumenta a aquisição de smartphones (Rocha, 2022), mais pessoas consomem notícias via Instagram (Cardoso et al., 2021) e a utilização daquela rede também ascende (We Are Social, 2022), parece estratégica uma aposta do jornalismo nelas. Fazendo uma equiparação das publicações a chamadas de capa de jornais e revistas, selecionaram-se duas, para se perceber o seu potencial semiótico-discursivo, numa tentativa de responder à pergunta: que sentidos e discursos produz o (ciber)jornalismo na rede social Instagram com as suas publicações? Recorrendo à análise sociossemiótica e à Análise Crítica do Discurso, desvendaram-se alguns aspetos nas publicações selecionadas: dramatização, espetacularização, erroneidade e desumanização, fazendo emergir discursos de politização, deslegitimação, descrença e risco político e social.

 

Este trabalho contou o apoio de uma Bolsa de Investigação para Estudantes de Doutoramento [BI_Doutoramento/FCT/ CECS/2021 (UI/BD/151164/2021)], da Fundação para a Ciência e Tecnologia, ao abrigo do Protocolo de Colaboração para Financiamento do Plano Plurianual de Bolsas de Investigação para Estudantes de Doutoramento, celebrado entre a FCT e a Unidade de I&D CECS (UID 00736).

https://doi.org/10.56418/txt.16.2022.003
PDF (Português (Portugal))
HTML (Português (Portugal))
EPUB (Português (Portugal))

Citas

APCT (n.d.). Análise Simples. Retirado a 1 de agosto de 2022, de https://www.apct.pt/analise-simples

Agência Lusa, FMC (2022). Números da mortalidade materna são "pequenos números", diz Temido. CNN Portugal. https://cnnportugal.iol.pt/mortalidade-materna/mortalidade/numeros-da-mortalidade-materna-sao-pequenos-numeros-diz-temido/20220629/62bc2c7d0cf26256cd2b4c8b

Al-Rawi, A., Al-Musalli, A., & Fakida, A. (2021). News values on Instagram: A comparative study of international news. Journalism and Media, 2, 305–320. https://doi.org/10.3390/jou r nalmedia2020018

Alberto, L.-H. S. (2022). Periodismo en Instagram: Tratamiento mediático y análisis del humor en las viñetas del diario 20 Minutos. Textual & Visual Media, 1(15), 17–39. https://doi.org/10.56418/txt.15.2022.002

Andrade, J. G. (2020). Crises, tecnologias e média sociais: Uma reflexão sobre os novos períodos de turbulência. In M. Oliveira, H. Machado, J. Sarmento, & M. C. Ribeiro (Eds.), Sociedade e crise(s) (pp. 109-113). UMinho Editora. https://hdl.handle.net/1822/68122

APCT (n.d.). Análise simples. Retirado a 1 de julho de 2022, de https://www.apct.pt/analise-simples

Arango-Kure, M., Garz, M., & Rott, A. (2014). Bad news sells: The demand for news magazines and the tone of their covers. Journal of Media Economics, 27(4), 199–214. https://doi.org/10.1080/08997764.2014.963230

Araújo, E. R. (2005). O Conceito de Futuro. In E. R. Araújo (Ed.), Actas de Conferência “O Futuro não pode começar” (pp. 7–48). Núcleo de Estudos de Sociologia da Universidade do Minho. http://hdl.handle.net/1822/3461

Bachman, I., Harp, D., & Loke, J. (2018). Covering Clinton (2010–2015): meaning-making strategies in US magazine covers. Feminist Media Studies, 18(5), 793–809. https://doi.org/10.1080/14680777.2017.1358204

Bainotti, L., Caliandro, A., & Gandini, A. (2020). From archive cultures to ephemeral content, and back: Studying Instagram Stories with digital methods. New Media & Society, 23(12), 3656–3676. https://doi.org/10.1177/1461444820960071

Burrowes, P. C. (2014). "Compre essa ideia, consuma esse produto", ou como a publicidade nos enreda em sua teia. Revista FAMECOS, 21(3), 1241–1261. https://doi.org/10.15448/1980-3729.2014.3.17623

Campos, R. (2013). Introdução à cultura visual. Abordagens e metodologias em ciências sociais. Editora Mundos Sociais.

Cardoso, C. R. (2009). A capa de newsmagazine como dispositivo de comunicação. Observatorio (OBS*) Journal, 3(1), 132–149. https://doi.org/10.15847/obsOBS312009182

Cardoso, G., Baldi, V., Paisana, M., & Couraceiro, P. (2021). Os submercados da atenção – Práticas de acesso a notícias online e impacto na relação entre marcas e audiências. OberCom. https://obercom.pt/os-submercados-da-atencao-dinamicas-de-acesso-a-noticias-online/

Carvalho, A. (2008). Media(ted) discourse and society: Rethinking the framework of critical discourse analysis. Journalism Studies, 9(2), 161–177. https://doi.org/10.1080/14616700701848162

Cerqueira, C., Magalhães, S. I. & Cabecinhas, R. (2014). Questões de género nas revistas generalistas de informação em Portugal: cruzamentos temáticos na Sábado e Visão. Calidoscópio, 12(2), 168–179. http://hdl.handle.net/1822/40276

Chandler, D. (2007). Semiotics: The basics (2.ª edição). Routledge.

Chaparro, M. C. (2000). O acontecimento como discurso. Comunicação e Sociedade 2, 14(1-2), 295–304. https://doi.org/10.17231/comsoc.2(2000).1402

CNN Portugal [@cnnportugal] (n.d.). Publicações [perfil do Instagram]. Instagram. Consultado a 12 de novembro de 2022, de https://www.instagram.com/cnnportugal/

CNN Portugal [@cnnportugal] (2022, 29 de junho). Em 2020, a DGS considerou 17 óbitos de mulheres na gravidez ou nos 42 dias após o parto [Fotografia com texto escrito]. Instagram. https://www.instagram.com/p/CfZErdFo228/

Coelho, M. Z. S. P. (2010). Da instabilidade do ecrã. In M. Z. S. P. Coelho, & J. P. Neves (Eds.), Ecrã, paisagem e corpo (pp. 17–33). Grácio Editor.

Costa, J. (2011). Design para os olhos: Marca, cor, identidade e sinalética. Dinalivro.

Demoulin, S., Cortes, B. P., Viki, T. G., Rodriguez, A. P., Rodriguez, R. T., Paladino, M. P. & Leyens, J-P. (2009). The role of in-group identification in infra-humanization. International Journal of Psychology, 44(1), 4–11. https://doi.org/10.1080/00207590802057654

DeVito, J. (2002). Non-verbal messages. In J. A. DeVito (Ed.), Human communication. The basic course, 9/E (pp. 134–157). Allyn & Bacon/Longman.

Díaz-Campo, J., Segado-Boj, F., & Fernández-Gómez, E. (2021). Hábitos del usuario y tipo de red social como predictores de consumo y difusión de noticias. Profesional de la información, 30(4), e300417. https://doi.org/10.3145/epi.2021.jul.17

Dor, D. (2003). On newspaper headlines as relevance optimizers. Journal of Pragmatics, 35(5), 695–721. https://doi.org/10.1016/S0378-2166(02)00134-0

Fallis, D. (2015). What is disinformation? Library Trends, 63(3), 401–426. https://doi.org/10.1353/lib.2015.0014

Ferreira, G. B. (2022). A esfera pública também sente? Sobre emoções e discurso cívico na era digital. Mediapolis, 14, 97–112. https://doi.org/10.14195/2183-6019_14_5

Fiske, J. (1993). Introdução ao estudo da Comunicação. Edições Asa.

Fraser, N. (1990). Rethinking the public sphere: A contribution to the critique of actually existing democracy. Social Text, 25/26, 56–80. https://doi.org/10.2307/466240

Gomes, E. S. C. (2021). A mediatização da Covid-19 em Portugal: Os primeiros meses da pandemia nos jornais online. Revista Española de Comunicación en Salud, 12(2), 135–150. https://doi.org/10.20318/recs.2021.6124

Heller, E. (2014). A psicologia das cores. Como as cores afetam a emoção e a razão. Editora Gustavo Gili. (Trabalho original publicado em 2000)

Horsle, P. B. (2005). Strategical communication as a method. Comunicaçao e Sociedade, 8, 19-37. https://doi.org/10.17231/comsoc.8(2005).1179

Kress, G., & van Leeuwen, T. (2021). Reading images: The grammar of visual design (3.ª edição). Routledge.

Lima, M. L., & Correia, I. (Ed.) (2012). Atitudes: Medida, estrutura e funções. In M. B. Monteiro, & J. Vala (Eds.), Psicologia Social (pp. 201–243). Fundação Calouste Gulbenkian.

Lopes, A. S. (2022). Costa não demitiu Pedro Nuno Santos nem o ministro se demitiu. Público. https://www.publico.pt/2022/06/30/politica/noticia/costa-nao-demitiu-pedro-nuno-santos-2011955

Lopes, F., Santos, C. A., Magalhães, O., Burnay, C. D., Araújo, R., & Sá, A. (2021). A cobertura noticiosa da pandemia: Um retrato dos dilemas e práticas profissionais na era Covid-19. Mediapolis, 13, 109–124. https://doi.org/10.14195/2183-6019_13_6

Machado, F. V. K., & Trindade, V. C. (2021). Mulher(es) em meio à pandemia: O que as capas das revistas femininas têm a dizer/ensinar?. Revista Brasilieira de História da Mídia, 10(1), 53–73. https://doi.org/10.26664/issn.2238-5126.101202111798

Madlela, K. (2019). All a black woman needs is great sex and a sexy body: Themes in True Love magazine cover lines. Communicatio, 45(1), 33–55. https://doi.org/10.1080/02500167.2019.1573748

Maia, A. (2022). Criticada no Parlamento, ministra indica respostas para o SNS. “Contratar todos, recrutar no estrangeiro e pagar melhor”. Público. https://www.publico.pt/2022/06/17/sociedade/noticia/criticada-parlamento-ministra-indica-respostas-sns-contratar-recrutar-estrangeiro-pagar-melhor-2010341

Martins, M. L. (2017). Conclusão. Razão comunicativa e razão política. In M. L. Martins (Ed.), A linguagem, a verdade e o poder - Ensaio de semiótica social (pp. 173–184). http://hdl.handle.net/1822/48230

McQuail, D. (2010). McQuail’s mass communication theory (6.ª edição). SAGE.

Meios & Publicidade (2022, 1 de abril). Audiências março: SIC e TVI seguem separadas por nove décimas. CNN Portugal assume liderança no cabo. Meios & Publicidade. https://www.meiosepublicidade.pt/2022/04/audiencias-marco-sic-e-tvi-seguem-separadas-por-nove-decimas-cnn-portugal-assume-lideranca-no-cabo/

Milani, T. M., & Richardson, J. E. (2021). Discourse and affect. Social Semiotics, 31(5), 671–676. https://doi.org/10.1080/10350330.2020.1810553

Mitchell, W. J. T. (1984). What is an image? New Literary History, 15(3), 503–537. https://doi.org/10.2307/468718

Moraes, F. (2005). Do pseudo-evento à não-notícia: Um estudo sobre a revista Caras [Dissertação de mestrado, Universidade Federal de Pernambuco]. ATTENA. https://repositorio.ufpe.br/handle/123456789/3459

Mota-Ribeiro, S. (2011). Do outro lado do espelho: Imagens e discursos de género nos anúncios das revistas femininas: uma abordagem socio-semiótica visual feminista [Tese de doutoramento, Universidade do Minho]. RepositoriUM. http://hdl.handle.net/1822/12384

Oliveira, M. (2010). Metajornalismo. Quando o Jornalismo é sujeito do próprio discurso. Grácio Editor.

Oliveira, I. L., Paula, M. A., & Marchiori, M. (2012). Um giro na concepção de estratégias comunicacionais: Dimensão relacional. Revista del Foro Iberoamericano sobre Estrategias de Comunicación FISEC, 7(12), 133–153. https://www.cienciared.com.ar/ra/doc.php?n=1749

Pinto, M. (2000). Fontes jornalísticas: Contributos para o mapeamento do campo. Comunicação e Sociedade, 2, 277–294. https://doi.org/10.17231/comsoc.2(2000).1401

Pinto, P. R. (2022, 30 de junho). Demissão de Pedro Nuno Santos em cima da mesa, avança jornal Público. Jornal de Negócios. https://www.jornaldenegocios.pt/economia/conjuntura/detalhe/demissao-de-pedro-nuno-santos-em-cima-da-mesa-avanca-jornal-publico

Pinto-Coelho, Z. (2008). Discurso jornalístico e a construção da juventude. In M. L. Martins & M. Pinto (Eds.), Comunicação e Cidadania - Actas do 5º Congresso da Associação Portuguesa de Ciências da Comunicação 6 - 8 Setembro 2007 (pp. 1171–1183). http://hdl.handle.net/1822/37224

Pinto-Coelho, Z. (2019). Análise (crítica) do discurso e análise de contéudo: Afinam pelo mesmo diapasão? In P. Serra & A. Gradim (Eds.), Anuário Internacional de Comunicação Lusófona 2017/2018 (pp. 21–44). LABCOM. http://labcom.ubi.pt/book/344

Público [@publico.pt] (n.d.). Publicações [perfil do Instagram]. Instagram. Consultado a 12 de novembro de 2022, de https://www.instagram.com/publico.pt/

Público [@publico.pt] (2022a, 30 de junho). ACTUALIZAçãO: Pedro Nuno Santos não se demitiu nem foi demitido pelo primeiro-ministro [Fotografia com texto escrito] Instagram. https://www.instagram.com/p/CfbPOJoMrbh/

Público [@publico.pt] (2022b, 30 de junho). Pedro Nuno Santos não se demitiu nem foi demitido pelo primeiro-ministro [Fotografia com texto escrito] Instagram. https://www.instagram.com/p/CfcDR7EOc_z/

Recuero, R. (2014). Curtir, compartilhar, comentar: trabalho de face, conversação e redes sociais no Facebook. Verso e Reverso, 28(68), 114–124. https://doi.org/10.4013/ver.2014.28.68.06

Ricoeur, P. (1979). The human experience of time and narrative. Research in Phenomenology, 9, 17–34. https://www.jstor.org/stable/24654326

Ritzer, G., & Jurgenson, N. (2010). Production, consumption, presumption: The nature of capitalism in the age of the digital ‘prosumer’. Journal of Consumer Culture, 10(1), 13–36. https://doi.org/10.1177/1469540509354673

Rocha, C. (2022, 20 de fevereiro). Portugueses compraram 2,6 milhões de smartphones em 2021. Segmento empresarial deu impulso. Jornal de Negócios. https://www.jornaldenegocios.pt/empresas/tecnologias/detalhe/portugueses-compraram-26-milhoes-de-smartphones-em-2021-segmento-empresarial-deu-impulso

Ross, A. S., & Rivers, D. J. (2019). Introduction. (De)legitimization and participation in the digitized public sphere. In A. S. Ross, & D. J. Rivers (Eds.), Discourses of (de)legitimization participatory culture in digital contexts (pp. 1–14). Routledge.

Salaverría, R. (2019). Digital journalism: 25 years of research. Review article. Profesional de la Información, 28(1), 1–26. https://doi.org/10.3145/epi.2019.ene.01

Santaella, L. (2007). As linguagens como antídotos ao midiacentrismo. MATRIZes, 1(1), 75-97. https://doi.org/10.11606/issn.1982-8160.v1i1p75-97

Santos, J. A. (2022, 30 de junho). António Costa afasta Pedro Nuno Santos do Governo. Visão. https://visao.sapo.pt/atualidade/politica/2022-06-30-antonio-costa-afasta-pedro-nuno-santos-do-governo/

Santos-Silva, D. (2022). Picture a pandemic through journalism: Innovating visually to regain trust and achieve empathy. The International Journal of Image, 13(2), 13–24. https://doi.org/10.18848/2154-8560/CGP

Sapo 24 (n.d.). Público, 1 jul 2022. Retirado a 21 de julho de 2022, de https://24.sapo.pt/jornais/nacional/4090/2022-07-01#&gid=1&pid=20

Shah, C. (2017). Social information seeking. Leveraging the wisdom of the crowd. Springer.

Sharma, K. A., & Naresh, S. (2022). Setting narrative through Instagram posts: A study of BBC’s reportage on Afghanistan. Arab Studies Quarterly, 44(2), 84–96. https://doi.org/10.13169/arabstudquar.44.2.0084

Silva, S., Ruão, T., & Gonçalves, G. (2020). O estado de arte da Comunicação Organizacional: As tendências do século XXI. Observatorio (OBS*) Journal, 14(4), 98–118. https://doi.org/10.15847/obsOBS14420201652

Stallings, R. A. (1990). Media discourse and the social construction of risk. Social Problems, 37(1), 80–95. https://doi.org/10.2307/800796

Tafuri, L., & Witzel, D. G. (2008). Suzane Von Richthofen e João Hélio: Um estudo acerca da espetacularização da notícia sob o prisma da análise do discurso. In M. do C. S. Barbosa, & M. R. S. Fernandes (Eds.), Anais do IX Congresso de Cieências da Comunicação na Região Sul, Intercom/Unicentro, 29 a 31 de maio de 2008 (pp. 1–15). http://www.intercom.org.br/papers/regionais/sul2008/resumos/R10-0396-1.pdf

Teixeira, S. C. (2022, 30 de junho). António Costa demite Pedro Nuno Santos. Diário de Notícias Madeira. https://www.dnoticias.pt/2022/6/30/317861-antonio-costa-demite-pedro-nuno-santos/

Thayer, L. (1979). Comunicação, fundamentos e sistemas. Atlas.

Tuchman, G. (1978). Making news: A study in the construction of reality. The Free Press.

van Dijk, T. A. (Ed.) (2017). Discurso, notícia e ideologia. Estudos na Análise Crítica do Discurso. Edições Húmus.

Vázquez-Herrero, J., Direito-Rebollal, S., López-García, X. (2019). Ephemeral journalism: News distribution through Instagram Stories. Social Media + Society, 5(4), 1–13. https://doi.org/10.1177/2056305119888657

Veglis, A. (2012). From cross media to transmedia reporting in newspaper articles. Publishing Research Quarterly, 28, 313–324. https://doi.org/10.1007/s12109-012-9294-z

Vermelho, S. C., Velho, A. P. M., & Valdecir, B. (2015). Sobre o conceito de redes sociais e seus pesquisadores. Educação e Pesquisa, 41(4), 863–881. https://doi.org/10.1590/s1517-97022015041612

Watzlawick, P., Beavin, J. H., & Jackson, D. D. (1967). Pragmatics of human communication. W. W. Norton & Company.

Wodak, R. (2009). Introduction: Discourse studies – important concepts and terms. In R. Wodak & M. Krzyzanowski (Eds.), Qualitative discourse analysis in the Social Sciences. (pp. 1–29). Palgrave.

We Are Social (2022). Digital 2022: Global overview report. https://wearesocial.com/uk/blog/2022/01/digital-2022/

Zamith, F. (2008). Ciberjornalismo – As potencialidades da Internet nos sites noticiosos portugueses. Edições Afrontamento

Creative Commons License

Esta obra está bajo una licencia internacional Creative Commons Atribución-NoComercial-SinDerivadas 4.0.

Descargas

Los datos de descargas todavía no están disponibles.